sexta-feira, 16 de outubro de 2015

O Atomium - o futuro em 1958

Fala-se de futuro aqui, pela visão vanguardista de André Waterkeyn (1917-2005). Esta estrutura em ferro com 103 metros de altura representa o átomo do ferro ampliado 165 mil milhões de vezes. São nove esferas ligadas entre si por tubos que formam oito vértices.


Bruxelas - entre valões e holandeses

O que tem Bruxelas de interessante?

Ouvi várias vezes perguntarem-me quando mencionava que iria lá passar uns dias. De facto Bruxelas é sinónimo de política, de comissões e de conselhos europeus.  Cidade onde se vai a trabalho e, apenas por um ou dois dias. Mas para além disso? O que tem Bruxelas para oferecer a quem a visita como turista?

Muito, na minha opinião, pois não só Bruxelas é uma cidade muito interessante, que vale a pena conhecer, como a partir dali é muito fácil e não muito caro, visitar outras cidades belgas. Acaba por ser o dois em um, ou mais, conforme o tempo disponível que tenhamos.

Para nós foram 4 dias e meio, um dos quais guardámos para conhecer Bruges. Nos restantes, a pé e de metro lá partimos à descoberta da cidade.


Na capital da Bélgica falam-se e escrevem-se dois idiomas, o francês (herança dos valões) e o holandês (herança dos flamengos) pelo que, os nomes das ruas e dos locais aparecem escritos nas duas formas. Sempre que possível vou seguir esse princípio e desde já peço desculpa por qualquer erro ortográfico que cometa. O holandês não é o meu forte...